TIGHT LACING
“Tight Lacing” significa “Laço Apertado” em inglês. Esse termo foi adotado para denominar a prática do uso prolongado do corset a fim de reduzir medidas da cintura, reacomodar os órgãos internos, reposicionar as costelas flutuantes e disciplinar a postura. Esse objetivo só pode ser alcançado com o uso de uma peça específica para o treino, que tenha uma boa modelagem e que seja bem estruturada, contendo várias camadas de tecido resistente, barbatanas de aço rígidas e espiraladas nas áreas adequadas, e amarração nas costas regulada por ilhóses.
“Tight Lacer” é a pessoa que pratica o tight lacing no objetivo de fechar totalmente o corset, atingindo, por fim, a redução da medida desejada que, por padrão, é de 10 cm menor que a medida original de sua cintura.
Para alcançar evolução eficiente na prática é preciso, no mínimo, 8 horas diárias de treino, assim, os resultados permanentes poderão ser apreciados a partir de 2 semanas. O tempo de treino a ser adotado, se respeitado gradativamente, pode atingir um período de 24 horas, então, não há limite de uso, desde que seja adotada a prática de exercícios físicos, já que a falta de exercícios juntamente com o uso prolongado do corset tendem a ocasionar problemas de saúde.
Seguindo determinado tempo de uso o corset proporciona redução eficaz de medidas. Mas, veja, as pessoas são diferentes entre si e o corpo de cada uma age de forma diferente também.
Existem casos de problemas de saúde que proíbem a prática do tight lacing. Os mais comuns são bronquites, diabetes, problemas cardíacos, digestivos e respiratórios, circulatórios e problemas de coluna. Por isso, é devidamente recomendável consultar um médico antes de adotar o treinamento para garantir a inexistência de qualquer problema de saúde impeditivo.
A prática de Tight Lacing por menores de 18 anos só pode ser administrada com o conhecimento e acompanhamento dos pais ou tutores legais e, principalmente, com acompanhamento médico constante devido à fase de crescimento e desenvolvimento dos ossos, órgãos vitais e hormônios.
Não aceitamos encomendas para clientes abaixo dos 15 anos. E deve enviar um termo de Responsabilidade registrado em cartório pelos tutores legais.


COMO PASSAR OS CORDÕES
Refazer a amarração do corset é algo muito simples, parecido com o que se faz com tênis ou sapatos de cadarços. O que diferencia na amarração do corset é a atenção que deve ser voltada para a área da cintura.
O tamanho ideal do cordão é algo a ser desvendado. Nos corsets sem abertura frontal é preciso utilizar um tamanho consideravelmente longo, porque pelo fato de ser fechado na frente, não há como o vestir sem que haja uma boa folga nas costas. E isso também porque seria desprazeroso ter sempre que refazer o trançado.
Deixe uma boa quantidade de cordão para fazer isso. Entre 10 e 15 metros. É melhor que haja sobra para ser cortada fora do que ter que cortar um novo cordão e refazer tudo novamente.
Comece passando de cima para baixo. Sempre cuide para as duas pontas estarem com o mesmo tamanho. Conte os pares de ilhós até a linha da cintura, de baixo para cima, se o jogo de ilhós terminar em par comece de dentro para fora, se terminar em ímpar comece de fora para dentro.
Passe o cordão em forma de X. Na linha da cintura, onde os ilhoses estão bem juntinhos, crie um elo, pulando direto para o ilhós de baixo.
Depois de fazer o elo, cruze novamente para o lado contrário e continue a fazer o X até o fim do corset, de modo a terminar com as pontas do cordão voltadas para dentro.
Una as duas pontas do cordão e dê um nó.


COMO VESTIR O CORSET
Sempre vista e aperte seu corset na frente de um espelho para garantir que o processo seja feito de forma correta. Certifique-se sempre de que o lado correto esteja voltado para cima.
Se seu corset é fechado na parte frontal vista ou retire pela cabeça, como se fosse uma blusa.
Posicione e feche a peça corretamente na frente, encaixando os pinos centrais primeiro, depois siga fechando até as extremidades.
Tanto para vestir como para retirar seu corset é obrigatório afrouxar totalmente os cordões das costas, dê ênfase na área da cintura. Mesmo que tenha fecho na abertura frontal esse procedimento é obrigatório em todos os modelos, caso contrário, a pressão pode forçar o fecho, correndo o risco de quebra-lo e de causar hematomas ou ferimentos na pele.
O liner é um tubo estreito de malha específico para ser usado por baixo de corsets modelo “overbust” ou corsets destinados à prática do tight lacing, em especial os de tela. Serve para impedir o contato direto com a pele; diminuir o atrito e o suor; prolongar mais a vida útil da peça e diminuir a necessidade de lavagens. Use-o sempre pelo lado avesso para evitar a pressão das costuras diretamente contra a pele. O liner pode ser substituído por uma blusinha, pijama, 2ª pele ou qualquer outra peça de vestimenta leve que impeça o contato direto do corset com a pele.


COMO AJUSTAR OS CORDÕES
Antes de puxar os cordões alinhe e estique o protetor de costas.
Inspire e prenda a barriga sempre que puxar os cordões. Isso evita deformidades na barriga por mau ajuste no corpo.
Passe os dedos nos ilhoses da região da cintura e encontre os elos, enganche os dedos e puxe-os para fora sem exagerar. Solte as pontas e volte novamente com as mãos próximas dos ilhoses, agora puxando o lado de baixo do elo para cima. Trave os cordões nos dedos para firma-los melhor.
Traga os conjuntos em “X” puxando-os de baixo para cima e, em seguida, de cima para baixo de forma suave, apenas para diminuir o excesso das cordas, quando chegar nos elos puxe todo o excesso para fora.
Agora puxe os cordões com força para apertar o seu corset, porém, sempre aos poucos para ajustar corretamente a peça nas extremidades. Dê ênfase na cintura.
Amarre os cordões fazendo um nó apertado para não soltar. Em seguida, dê vários laços nas costas, até encurtar os cordões.
Se for usar seu corset por baixo da roupa dê voltas na cintura com os cordões até encurta-los, amarre-os pelas pontas fazendo um nó apertado para não soltar.
Não exagere! Principalmente na prática do Tight Lacing, respeite os seus limites para preservar a sua saúde. Com o uso diário e prática constante o seu corpo tende a se acostumar gradativamente ao corset, adquirindo as formas que a peça impõe e, com isso, reduzindo suas medidas de forma saudável.
O exagero no aperto dos cordões pode causar dores, falta de ar e mal estar, além de causar hematomas na pele.


TEMPO DE USO
Um corset feito para uso esporádico pode ser usado por até 8 horas sem oferecer desconforto algum. Durante uma festa, um jantar, um passeio ou qualquer tipo de evento poderá ser desfrutado sem preocupação.
Se o seu corset foi feito para uso diário, para não prejudicar sua saúde e para que você possa se acostumar gradativamente à peça, é preciso tomar algumas precauções, assim, você jamais vai pensar em desistir do uso por conta de desconfortos. São elas: Iniciar a prática da primeira semana com 2 horas de uso durante 3 dias, após, aumentar 1 hora e manter o uso de 3 horas diárias até o sétimo dia. Na segunda semana aumente 1 hora, na terceira semana aumente mais 1 hora, e assim sucessivamente, até atingir 8 horas, ou mais, de uso diário. Mas, respeite os seus limites e veja o que é melhor para você, sinta total segurança de que você poderá ir aumentando o tempo sem sentir desconforto, caso contrário, mantenha o ritmo por mais tempo e, só depois de se acostumar totalmente, estenda as horas de uso.
Ao retirar o corset a pele apresenta marcas e vermelhões resultantes da pressão, mas, são temporárias e tendem a desaparecer após alguns minutos. Evite coçar a região direto com as unhas para evitar o aparecimento de estrias. Massageie com óleo ou hidratante corporais se sentir necessidade. Hidrate a pele sempre enquanto não estiver fazendo o uso do corset para evitar urticárias, alergias e impedimento da transpiração da pele.


CUIDADOS E CONSERVAÇÃO
Durante séculos na Europa e América, a maioria das mulheres e alguns homens faziam uso diário do corset grande parte de suas vidas. Se os espartilhos históricos duraram sob os rigores do uso diário, não há razão para que os corsets modernos não durem também. Com os devidos cuidados qualquer corset bem feito deve durar anos, mesmo com o desgaste diário.
Jamais guarde seu corset imediatamente após a retirada. A umidade excessiva pode causar mofo, oxidação e ferrugem das barbatanas e ilhoses, portanto, deixe a peça estendida com o lado de dentro voltado para cima, de um dia para o outro ou durante tempo suficiente para garantir a secagem total do suor.
Coloque o corset dentro do saco e coloque-o em local seco e fresco. Em caso de perda do saco, enrole o corset em papel manteiga ou em tecido de algodão puro. Guarda-lo de volta na caixa evita torções do aço ou danificação do tecido.
Guarde o corset sempre na mesma posição em que você o recebeu. Não enrole-o nem dobre-o de outra forma para evitar danificações na estrutura.
Se não houver onde manter a caixa, deixe-o sempre no saquinho pendurado em um cabide no guarda-roupas ou em lugar outro seco e fresco. Jamais guarde-o debaixo de outras peças que façam peso sobre o corset.


LIMPEZA
O uso não torna a lavagem obrigatória, então, lave seu corset o mínimo de vezes possível. Escolha dia ensolarados. Quanto mais lavagens maior o desgaste, a descoloração e maiores as chances de enferrujar os ilhoses, as barbatanas e o busk. Mesmo com o revestimento, a estrutura em aço pode enferrujar.
O corset deve ser lavado somente à mão com muito cuidado e delicadeza. A máquina ou a esfregadeira podem danificar o tecido, as costuras e, principalmente, a estrutura de aço.
Use somente sabão neutro totalmente diluído em água, mergulhe a peça sem esfregar, pressione levemente as mãos contra a peça para retirar o excesso de água e não torça, pendure com o forro voltado para fora. Não centrifugue e não passe a ferro.
Corsets em couro ou verniz devem receber arejamento periodicamente e limpeza somente com pano úmido ou seco. Pode-se lustrar o couro com produtos específicos ou hidratante corporal e uma flanela macia para recuperar o brilho e a maciez da peça.
Há algumas maneiras de retirar odores e manchas de suor da peça que dispensam a lavagem como, por exemplo, esfregar pó de talco ou diluir uma solução com metade de água e metade de álcool ou vodka e borrifar sobre a área. Mas, esses produtos devem ser manuseados com extremo cuidado, pois, em excesso podem descolorir ou desbotar o tecido. Sempre faça um teste antes, passando o conteúdo em uma área pequena, como por exemplo, no cantinho do protetor de costas ou no forro.
Certifique-se sempre de que o corset ficou exposto com a área higienizada voltada para cima, durante tempo suficiente para garantir a secagem completa.
Outra opção é a lavanderia, porém, esses locais costumam utilizar produtos abrasivos. Informe ao atendente sobre a estrutura de aço e delicadeza do corset, caso contrário, esses produtos poderão causar ferrugem ou oxidação no aço, manchas ou desbotamento do tecido. Procure um local de sua confiança e exija a lavagem a seco.